7h54

Quantas vezes não se serraram os teus lábios.  Demasiado acomodados ao silêncio. E as sìlabas? Qual máquina enferrujada, deixa as sair, aos solavancos, atropeladas pelos mais céleres pensamentos. Num ritmo inesgotável.   Advertisements